Preto velho X Exu

Preto velho X  Exu.

x
Ponto de advertência de Preto-Velho.
Preto velho passou no cruzeiro,
Foi pedia a Oxalá proteção.
Preto-velho no espaço se une.
Filho na terra não tem união. 3x

Minha intenção ao escrever essa página é de mostrar como age Preto velho e exu em suas consultas, mostrar qual é a diferença, qual a linha de pensamento de cada corrente.
Por exemplo:
É muito comum ir aos Centros Espíritas, cabanas e tendas de Umbanda, pessoas muito perturbadas com problemas de todas as ordens, não muito raro alguns vão em busca de vingança.

A VINGANÇA

A vingança é uma arma que muitos ainda trazem consigo.
Perigosa e traiçoeira é usada sempre de maneira imprevisível. Muitos nem mesmo sabem fazer o uso dessa arma e como um poderoso caçador que atravessa longas florestas a procura de sua caça, vão muitas vezes ao encontro de suas próprias tragédias.
Outros, espertos, porque planejam por dias, vão também ao encontro da sua tragédia e levam outros tantos consigo.
Vingança, um mal que muitos usam como um escrito mal planejado e deixam sempre uma fresta pela qual o retorno de seu ato traz de volta os resíduos que penetram em seu ser e que certamente os farão sofrer muito mais do que àqueles a quem foi dirigida.

VINGANÇA TOLA

Quero falar de um sentimento vivido por muitos de vocês, mas admitido por bem poucos.
Costumam usar como dito popular a frase: “Vingança é um prato que se come frio”, aludindo a necessidade de esperar pela “hora certa” para fazer a sua justiça. Eu lhes diria que é frio porque assemelha-se à frieza dos sentimentos que a alimentam: o ódio e o orgulho. E diria também que a covardia se encaixa bem nesse processo.
Em contrapartida está o amor, a humildade e a coragem, atitudes que tem a “quentura” boa das coisas mais simples e mais autênticas.
E esse “prato que se come frio” já causou todos os males possíveis durante o seu preparo. Pois, durante a espera, o único sentimento que envolve aquele que prepara esse prato é o ódio e a malquerença. E toda a energia criativa desse ser se volta para tão inútil projeto! Essa mesma energia criativa, que é dada a todos os seres com o objetivo de auxiliá-los, na grande tarefa do progresso individual… Utiliza-se tempo, trabalho, energia, sentimentos e fluidos que deveriam estar a serviço do bem, da melhoria, no inverso disso tudo. O que acham vocês que ganham ou acumulam quando se empenham num processo vingativo? Somente ganhos negativos; digo-lhes, com certeza. Sei também que todos já ouviram o que digo agora. Porém, não deixam de praticar suas pequenas vinganças, diariamente. Situações que, às vezes, nem refletem sobre elas, por julgarem-nas inofensivas. Mas digo-lhes que tudo que interfere ou ocupa o lugar do bem é um atraso e uma perda preciosa neste caminho de busca da melhoria.
Exemplifico-lhes: Sempre que um sentimento de satisfação lhes envolve quando vêem seu próximo sofrendo conseqüências por agir diferentemente da forma como vocês haviam “aconselhado”, experimentam uma forma de vingança. Ficar “torcendo” pelo fracasso daquele que não o ouve, envenena a você, muito mais do que ao outro.
E enquanto ficam observando as conseqüências da vida alheia, comprazendo-se dos fracassos e tombos dos outros, deixam de observar sua própria vida; deixam de perceber o que cada fracasso seu tem a lhe ensinar. E enquanto isso acontece, deixam vocês de estarem tornando-se melhores e mais felizes.
Se desejam sentir-se cada vez melhores, mais tranqüilos, amados, felizes, dirijam seus olhares críticos para si mesmos. Observem suas vidas, não se preocupem e nem se empenhem em praticar o que erroneamente julgam ser justiça. Descubram-se! Sejam corajosos!
E se desejam ajuda e proteção daqueles a quem dirigem seus pedidos mais íntimos, saibam que, mantendo seu coração frio e intolerante, mantém também grande distância da ajuda que querem. E maior distância ainda, do bem-estar que procuram e da melhoria necessária. E atenção: Só atraímos aquilo que emitimos.

Durante uma consulta com um preto velho quando um filho de Santo ou um consulente se apresenta perturbado , confuso com relação aos seus sentimentos e buscando vingança;
São aconselhados a perdoar e esquecer,
Os preto-velhos usam de suas experiências no cativeiro pra dar conselhos sábios e reeducativos, nos chamam a luz da razão, nos fazem compreender que sentimentos de ódio e desejo de vingança não levam ninguém a lugar nenhum.
Que só se ferimos e se machucamos por causas de pessoas que não estão nem ai, que enquanto perdemos nosso tempo, e envenenamos nossa alma com rancores e ressentimento essa pessoa estará vivendo sua vida, acreditando em suas verdades.
Os preto-velho sempre dizem que: “Ninguém muda ninguém, que o Maximo que conseguimos é mudar a nós mesmos.”
Que as pessoas são: “o que elas conseguem ser”.
Aconselham a rezar pedir a Oxalá e aos bons guias de luz que limpem o nosso coração, que afaste de nós esses sentimentos degradantes que só nos rebaixam e nos tornam semelhantes aos nossos agressores.
Os pretos velhos aconselham sempre tudo entregar nas mãos de Deus.
Se alguém direita ou indiretamente nos prejudicou, nos ofendeu, magoou nossos sentimentos, falou mal de nossa pessoa ou nos deu prejuízos financeiros, atrapalhando nossos planos ,enfim devemos “ perdoar e esquecer”, saber que não estamos sós.
Que Jesus mesmo passando por todos os martírios e todos os sofrimentos.
Disse: “Perdoai-lhes Pai eles não sabem o que fazem”.
Os preto-velhos nos alertam sempre sobre a lei do retorno.
“Aqui se faz, Aqui se recebe”. ( causas e efeitos)
Quando perdoamos alguém as suas fraquezas, falhas e omissões estamos sendo superiores aquela pessoa.
Os pretos velhos nos ensinam uma oração curtinha.
“Meu senhor e meu Deus se eu mereci o que me fizerem que eu encare como aprendizagem e sirva pra meu melhoramento material e espiritual, se não mereci tome de conta”.

Durante uma consulta com um exu quando um filho de Santo ou um consulente se apresenta perturbado , confuso com relação aos seus sentimentos e buscando vingança;
O exu procura não interferir ele respeita o livre arbítrio da pessoa.
Exu é mensageiro neutro, não bom e nem é mal, ele nunca faz nada sem ninguém pedir.
Exu acredita que a pessoa esteja consciente dos atos que queira praticar.
Costumamos citar sempre esse exemplo: “Uma pessoa compra um revolver e dispara contra outra pessoa, na hora de pagar por aquele ato, quem vai pagar quem disparou a armar ou quem fabricou a arma?”
Muitas pessoas desavisadas acreditam que exu seja um “vingador das causas alheias “que estão prontos pra sair pondo em prática todo tipo de maldade.
Realizando desejos por mais absurdos que pareçam, sem nenhuma conseqüência.
Tipo assim alguém me prejudicou, eu revido, eu vou num centro peço pra exu fazer um trabalho forte pra devolver o mal que ela me causou e ainda peço umas coisinhas a mais pra que essa pessoa saiba que eu sou mais forte.
Lá na frente a pessoa descobre manda fazer outro trabalho, depois de algum tempo você descobre que a pessoa tornou mexer os pauzinhos e vai atrás de se defender e mandar mais coisa.
Quer dizer isso vira uma demanda. Duas pessoas que poderiam ter se acertado passam a buscar vingança do lado espiritual por que na realidade uma teme a outra.
Não seria mais fácil ter aceitado os conselhos do preto-velho e ter perdoado.
Pois a lógica é bem simples quando um não quer dois não brigam.

Veja o exemplo:

” Pedro perguntou a jesus:
“ Senhor quantas vezes devo perdoar meu irmão 7 vezes”.
Jesus respondeu:
“Setenta vezes sete”.

A umbanda não prega a maldade ela esta na cabeça das pessoas.
Em seus mandamentos a Umbanda diz:
“Não faças ao próximo o que não queres que te faça. ’’
‘’Defenda-te das maldades e resista ao mal.’’
A umbanda nos ensina se defender jamais atacar.

Como podemos encarar a dificuldade

Uma dificuldade poderá despedaçar-nos, ou poderá tornar-nos mais fortes. Depende de como nós
aceitaremos e do que faremos com ela. Alguém já falou algo como “A má sorte é como uma faca que pode
cortar-nos ou servir-nos para cortar, dependendo do jeito como a segurarmos, ou pelo cabo, ou pela
lâmina”.

Agarremos uma dificuldade pela lâmina e seremos cortados. Seguremos a mesma pelo cabo e poderemos
usá-la construtivamente. Pode ser que seja difícil segurar a dificuldade pelo cabo, mas é possível.

Devemos ficar contentes por termos algumas dificuldades. A vida não merecia ser vivida sem elas. Este
elemento na vida pode ter seus aspectos desagradáveis, mas a dificuldade é, ainda, essencial à evolução e
orientação.

Porém, devemos solucionar nossas dificuldades e não criar e acumular dificuldades no nosso estoque pelo
simples motivo do expresso acima.

Problemas são um sinal de vida. De fato, quanto mais problemas, tanto mais se faz parte da vida.
Sintamo-nos contentes por Deus nos confiar alguns problemas. Agradeçamos a Ele este presente. Deus
acha que nós temos o necessário para solucioná-los.

Confúcio disse “Resolva uma dificuldade e afastará uma centena”.

Para resolver uma dificuldade, antes de tudo, mantenhamo-nos tão quietos, calmos e donos de nós mesmos
o mais que pudermos. Jamais podemos solucionar com eficiência uma dificuldade a menos que estejamos
mentalmente serenos. É muito importante pensarmos calmamente. Quando surge uma dificuldade, a
primeira tendência é ficarmos nervosos, assustados mesmo. Neste estado de nervosismo, achamos que o
problema deve ser solucionado imediatamente.

Quando se está mentalmente com febre, as respostas às dificuldades tendem a fugir. Mas quando se está
calmo, a mente vem fazer o que lhe compete que é raciocinar com inteligência.

O silêncio é um elemento no qual são geradas as coisas grandiosas pois submete a mente àquelas
iluminações penetrantes que vêm de Deus a fim de ocupar nossos pensamentos. A orientação divina
expressa-se numa voz serena e baixinha. A confusão faz com que a nossa mente não consiga escutar a
mensagem que nosso Deus tem para nos comunicar.

Os japoneses costumam praticar a serenidade num alto grau de eficiência. Até para tomar o chá eles usam
de serenidade, não o engolindo às pressas.

Seguir a vontade de Deus é prosperar; rebelar-se contra a vontade de Deus é destruir-se.

1. Agradeçamos a Deus por termos dificuldades. É um sinal de que estamos vivos.
2. Aprendamos a manter-nos por trás de nossas perturbações e observemo-las com toda a calma. A
melhor maneira de se fazer isso é pela prática da tranqüilidade. Na tranqüilidade e na paz, olhemos
equilibradamente para o nosso problema.
3. Utilizemo-nos de nossa plena força mental para analisar nossa dificuldade. Depois, sistematicamente,
dissequemo-la, pedacinho por pedacinho, decompondo-a.
4. Pensemos positivamente sobre nossa dificuldade. Tenhamos confiança em que havemos de
dominá-la. Façamos isso e já estaremos bem no caminho para a vitória.
5. Aprendamos o método, espiritual e prático, para manobrar a dificuldade.
6. Deixemos a persistência trabalhar por nós. Agarremo-nos obstinadamente ao caso e sairemos
vitoriosos.
7. Cresçamos, erguendo-nos ao ponto elevado onde possamos fitar de cima o nosso problema e, depois,
utilizemo-nos dele para que possamos ajudar-nos a crescer.
8. Com toda a calma, aceitemos a vida como vem. Lidemos com suas dificuldades com emoção controlada
e, sempre firmes, continuemos lutando pela vitória.
9. Nunca criemos um caso contra nós mesmos.
10.Façamos uso do poder de Deus Todo-Poderoso, a nosso alcance. Os embaraços poderão nos derrotar
sem Deus, mas com a ajuda dEle nós seremos capazes de manobrar toda e qualquer dificuldade.

      tranca_rua_das_almas

Fonte.:
Baseado no livro O VALOR DO PENSAMENTO POSITIVO de Norman Vincent Peale.

  • Av. Dona Sofhia Rasgulaeff 177.
    Jardim Alvorada/ Maringá /Paraná
    Telefone: (44) 3034-5827 (44) 99956-8463
    Consultas Somente com Hora Marcada.
    Atendimento: de Segunda a sexta-feira
    Das 09:00 as 19:00 horas.
    Não damos consultas:
    via WhatsApp ou via E-mail e mensagens de celular.

Esta entrada foi publicada em Preto -velhos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.