Marinheiros

MARINHEIROS

SALVE O POVO DA ÁGUA!!!

Eles chegam do mar e desembarcam em terra, sua alegria é contagiante, abraçam a todos, brincando sempre, com aquele jeito meio “maroto”, embriagado. São os Marinheiros, grupo de Espíritos que trabalham na Umbanda em prol da caridade.

Eles conheceram muito bem o mar e a navegação, pois participaram da descoberta de novos mundos através das viagens que empreenderam que duraram anos e anos.

As Entidade de Marinheiro trabalham na Linha de Iemanjá e também de Oxum, que compõem o chamado “Povo da Água”. Seus conselhos e mensagens são sempre cheios de esperança e de fé. Costumam trabalhar em grupos. São fortes, pois enfrentarem guerras e mares agitados, mas também conheceram a calmaria e a bonança.

Dão consultas, passes e também fazem trabalhos fortes de descarrego que envolvam grandes demandas. Em algumas casas, também costumam trabalhar nas giras de desenvolvimento de Médiuns.

Quando dão consultas, essa Falange costuma ir direto ao ponto, sem rodeios, mas também sabem como falar aos consulentes sem criar um clima desagradável ou de medo. Assim, conseguem atingir fundo as almas dos aflitos que costumam procura-los em busca de auxilio e de esperança.

Carregam consigo um sentimento profundo de amizade. Nas consultas, gostam muito de ajudar àquelas pessoas que se apresentam com problemas amorosos. Seus conselhos são sempre fiéis e certeiros, têm uma grande responsabilidade e assumem o compromisso de um trabalho bem-feito.

[2]

Todas as pessoas tem uma idéia muitas vezes distorcida desta linha de trabalho. Os marinheiros são em sua grande maioria espíritos que militam a umbanda para dar sustento no campo da diluição de cargas trevosas, outros atuam como elementos de sustentação de trabalhos voltados a curas, atraindo os poderes elementais dos quais estes espíritos de alto grau espiritual, trazem consigo.

Na realidade estes abnegados servidores da lei são verdadeiros “magos que atuam nos mistérios aquáticos” e com uma forma de atuação única dentro dos domínios da umbanda. Como magos, trazem para nós, a possibilidade de nos libertar-mos de nossos entraves, com uma forma bem simpática lidam com os consulentes de forma extrovertida, deixando o assistido muito avontade com trejeitos peculiares desta linha maravilhosa da umbanda.

Muito diferente do que imaginamos, estes irmãos do astral não são e não estão embriagados, como muitos se mostram, na realidade sua forma de balanço é uma maneira de liberar suas ondas energéticas se utilizando do próprio médium.

Como isso ocorre?

Em torno do médium existe um campo de energia sustentado por seus centros de força e, além da energia gerada a partir da energia corpórea, existe um campo espiritual que se reflete em todo o ambiente. Os guias quando encorporados em seus médiuns, dançam, giram, balançam, gesticulam, etc… desta forma os guias liberam não só a energia que se desprende do médium, mas também libera de forma salutar o poder de seu mistério através de ondas magnéticas que são liberadas dentro do campo espiritual do médium e do templo. É desta forma que os marinheiros fazem, em formas onduladas, ou através de seu balanço, que mais parece de uma pessoa embriagada, é que este irmão na luz faz seu trabalho redentor dentro dos campos da Umbanda Sagrada.

É importante que os médiuns e principalmente os assistidos, saibam de tal fato, para que estes não deturpem e não dêem um mal sentido aos trabalhos de Umbanda.

Os marinheiros são sustentados pelo poder de nossa Mãe Iemanjá e sua cor de atuação é a mesma desta mãe Divina, que é o azul claro. Podemos sempre que necessitarmos, ativar o poder destes servidores da lei em nossa vida, acenda sua vela e faça uma prece, pedindo para eles abrirem seus caminhos e protege-los. É maravilhoso.

Todos devem estar sempre com os pensamentos voltados ao Pai Celestial, para que assim a fé interior esteja sempre renovada. Que todos tenham a consciência de que as mudanças só serão possíveis se partirem primeiramente de vosso íntimo e acreditar, lutar pelos vossos idéias. A busca do sucesso depende de vosso próprio esforço, dedicação e merecimento. Portanto, não pare no tempo, cruzando os braços a espera de milagres. Levantem-se, tenham fé, renovem suas esperanças, acreditem no poder do Pai Maior e corram atrás de seus objetivos.

Alimentem vosso espírito com muito amor, esperança e fé para assim projetar a verdadeira essência divina a todos os vossos semelhantes. Vossa mente tem um poder grandioso. Use-a para exercitar o bem, com o objetivo de unirmos nossas forças para estarmos cada vez mais ligados a Deus, receba de braços abertos à energia de todos os Orixás, dos vossos marinheiros que estão o tempo todo a vos ajudar quando solicitados.

Sejam positivos em qualquer situação.

Se você quer o melhor para sua vida, comece fazendo uma reflexão de seus próprios atos, pois muitas pessoas reclamam de determinados acontecimentos em suas vidas, mas esquecem de que tudo tem um porque. Portanto, reflitam sobre vossos pensamentos e atitudes para que não sofra conseqüências negativas.

A vida é um espelho. Vigie-a sempre. E lembre-se de que tudo pode quando trazemos “Deus” em nossos corações.

[3]
A alegria dos MARINHEIROS!

“Quantas ondas tem o mar?
Quantos grãos tem de areia?
Eu vim pra descarregar
Sou marinheiro da mamãe sereia.”

Aos poucos eles desembarcam de seus navios da calunga grande e chegam em Terra. Com suas gargalhadas, abraços e apertos de mão. São os marujos que vêm chegando para trabalhar nas ondas do mar.

Os Marinheiros são homens e mulheres que navegaram e se relacionaram com o mar. Que descobriram ilhas, continentes, novos mundos.

Enfrentaram o ambiente de calmaria ou de mares tortuosos, em tempos de grande paz ou de penosas guerras.

Os Marinheiros trabalham na linha de Iemanjá e Oxum (povo d’áqua) e trazem uma mensagem de esperança e muita força, nos dizendo que se pode lutar e desbravar o desconhecido, do nosso interior ou do mundo que nos rodeia se tivermos fé, confiança e trabalho unido, em grupo.

Seu trabalho é realizado em descarregos, consultas, passes, no desenvolvimento dos médiuns e em outros trabalhos que possam envolver demandas.

A gira de marinheiro e bem alegre e descontraída. Eles são sorridentes e animados, não tem tempo ruim para esta falange. Com palavras macias e diretas eles vão bem fundo na alma dos consulentes e em seus problemas.

A marujada coloca seus bonés e, enquanto trabalham, cantam, bebem e fumam. Bebem Whisky, Vodka, Vinho, Cachaça, e mais o que tiver de bom gosto. Fumam charuto, cigarro, cigarrilha e outros fumos diversos.

Em seus trabalhos são sinceros e ligeiramente românticos, sentimentais e muito amigos. Gostam de ajudar àqueles e àquelas que estão com problemas amorosos ou em procura de alguém, de um “porto seguro”.

A gira de marinheiro, em muito, parece uma grande festa, pela sua alegria e descontração, mas também, existe um grande compromisso e responsabilidade no trabalho que e feito.

Salve o Povo D’água!

[4]
MAROLA DO MAR

Entidade ligada ao povo d’água. Sua função dentro desta linha é de fazer a limpeza de toda a carga acumulada, após algum trabalho mais pesado, levando todas as cargas negativas para as ondas do mar sagrado.

Entidade que trabalha na linha de Iemanjá, com forte influencia de Ogum, facilmente (ou comumente), confundido com marinheiro, é uma entidade que não bebe e nem fuma, seu descarrego é baseado no movimento da “marola do mar”, que vai e vem.

Foi um ser vivente em uma época muito distante. Quando vivo, tinha fixação pelas ondas do mar, conseqüentemente por Iemanjá, passava horas a fio a observar as ondas na esperança de vê-la. Cansado de esperar pela visão tão esperada, foi ao encontro das ondas julgando ouvir o chamado de Iemanjá, sendo assim tragado pelas ondas, encontrando enfim a morte nos braços de sua paixão.

Passado o tempo, voltou como entidade, por sua afinidade com este Orixá, passou a trabalhar nesta linha, com a função de levar para Iemanjá toda a carga negativa que se encontrasse ao redor de seus filhos queridos.

É uma entidade rara em terreiros de umbanda, até hoje poucos se viram ou se sabe da existência, porém, é uma entidade de muita força e luz.

Material de trabalho: Velas azul e branca

Local de entrega: Na marola do mar

Linha dos Marinheiros

A linha ou falange dos Marinheiros tem sua origem na linha de Iemanjá e são chefiados por uma entidade conhecida por Tarimá.

São espíritos de pessoas que em vida foram marinheiros ou com eles tinham ligação. São muito brincalhões com as pessoas presentes nos trabalhos, por esse motivo a sua evocação não é muito freqüente e normalmente ocorre no final dos trabalhos.

O plano espiritual superior os evoca para descarga pesada do templo, desta forma a eles podemos pedir coisas simples, eles não são muito dados a falar ou dar consultas as pessoas. A descarga de um terreiro uma vez efetuada será enviada ao fundo mar com todos os fluidos nocivos que dela provem.

Os marinheiros são destruidores de feitiços, cortam ou anulam todo mal e embaraço que possa estar dentro de um templo, ou ainda, próximo aos seus freqüentadores.

Nunca andam sozinhos, quando em guerra unem-se em legiões, fazendo valer o princípio de que a união faz a força, o que os torna imbatíveis nesse sentido. Na linha dos Marinheiros tem-se notícias de que alguns fazem curas e operações espirituais.

Nunca conhecemos nenhum deles que agissem dessa forma de modo correto e nesse tipo de situação toda precaução é sempre necessária, a fim de se evitar a exploração das pessoas. Aprendemos que a atuação dessa linha sempre foi a descarga pesada de um terreiro e de seus médiuns, fora dessa situação, a precaução se faz necessária.

Comentário do Pai de Santo A linha dos Marinheiros é às vezes mal interpretada por aqueles que não a conhecem.

Alguns os julgam espíritos de baixa evolução e outros os taxam de bêbados que só comparecem aos trabalhos para se embriagar.

Nesse sentido constatei um sem fim de patifarias em nome de sua linha. Os mal preparados ou mistificadores transmitem o que eles não são ou não praticam.

Qualquer entidade que compareça a um trabalho, sempre o faz em obediência a outras entidades a elas muito superiores.

Os Marinheiros têm um modo peculiar de se apresentar em nosso templo. Às vezes dão a impressão de estarem alcoolizados, mas usam o termo “mareado” para a forma como permanecem nos trabalhos. Mareado é o termo usado para alguém que permaneceu muito tempo no mar a bordo de uma embarcação que balança muito e uma vez em terra firme não conseguem ficar em pé corretamente e por esse motivo o corpo balança até que o cérebro assuma a nova realidade do corpo.

Os Marinheiros são uma linha de grande força, especializada na descarga pesada de um terreiro, onde o termo: “Já lavei meu tombadilho (piso do navio), já deixei tudo limpinho” É muito usado por eles, mostrando o seu objetivo em nossos templos.

Por sua característica “diferente” de se apresentarem são às vezes mal interpretados pelas pessoas, o que é um erro. Os marinheiros são aliados de valor nos templos de Umbanda e não pactuam com a coisa errada, se alguém sai da linha, vai ouvir o que precisa deles.


Oferenda aos Marinheiros

Material:
1 alguidar
3 maças
3 peras
3 laranjas lima
7 velas azuis
1 pedaço de corda
1 boné de marinheiro
1 peixe assado
7 cigarros
1 copo de papel
1 garrafa de rum
7 moedas douradas (lavadas e secas)

Modo de preparo:
Na beira do mar, colocar o alguidar de modo que a água o toque levemente. Cortar as frutas em 4 pedaços e passá-las simbolicamente pelo seu corpo de baixo para cima pedindo o que deseja aos marinheiros (ou ao marinheiro de sua preferência). Coloque as frutas no alguidar com o peixe por cima. Enfeite com as moedas e acenda os cigarros dando três baforadas em cada um fazendo seus pedidos. Coloque-os no alguidar e acenda as velas em volta. Encha o copo com o rum e despeje o restante por cima do alguidar e em volta coloque o boné em cima do alguidar junto com a corda. Saude os marinheiros e a Iemanjá 7 vezes fazendo seus pedidos e orações.

Obs.: não jogue a garrafa no mar, traga-a de volta e jogue no lixo.

Oferenda aos marinheiros

Material
1 alguidar
7 sardinhas (limpas e fritas)
1 cebola
1 tomate maduro
7 moedas (lavadas e secas)
1 melão
1 cacho de uvas
1 laranja lima
1 broche em formato de ancora
1 boné de marinheiro
1 pedaço de corda
1 copo de papel
1 lata de cerveja
7 cigarros
7 velas brancas
Flores brancas

Modo de preparo:
Corte o melão em 7 partes, retirando as sementes e coloque no centro do alguidar. Coloque o cacho de uva sobre as fatias de melão junto com a laranja cortada em 7 rodelas. Coloque as sardinhas fritas em volta colocando sobre cada sardinha uma rodela de tomate e de cebola. Passe as moedas simbolicamente pelo corpo de baixo para cima fazendo seus pedidos e coloque no alguidar. Coloque por cima de tudo a corda, o boné e o broche. Por fora, enfeite com as flores, acendendo as velas em círculo. Encha o copo com a cerveja jogando o resto em volta. Acenda os cigarros dando três baforadas em cada um fazendo seus pedidos. Encaixe-os no alguidar. Saude os marinheiros e Iemanjá 7 vezes fazendo seus pedidos e orações. Traga a lata de cerveja vazia e jogue no lixo.

Dia da semana: A 2ª feira, dia associado à Lua e ao Orixá Iemanjá Também a 6ª feira, regida por Netuno, planeta relacionado a Iemanjá.

Campo de atuação: Quebra de bloqueios emocionais; equilíbrio das emoções; limpeza energética; quebra de magias negativas.

Ponto de força: A beira-mar; beira dos rios.

Saudação: Salve a Marujada!

Cor: Azul claro e branco.

Elementos de trabalho: Pedras, conchas, búzios, estrelas do mar, caramujos, velas, fitas e linhas, areia, arroz, cebola branca.

Ervas: Alfazema, erva-cidreira, anis estrelado, rosa branca, camomila, manjericão, erva de Santa Maria, mentruz, hibisco (flor), manjerona, mulungu (casca e raiz), noz moscada, margarida, sensitiva, arroz, erva de bicho, buchinha do norte, casca de alho, casca de cebola.

Fumos/defumação: Charuto; cigarrilha; fumos diversos feitos de ervas enroladas na palha.

Incenso: Rosas brancas, alfazema, anis estrelado.

Pedras: As pedras azuis. Exemplos: Água-Marinha, Topázio Azul, Calcedônia, Quartzo Azul. Também as pedras pretas, quando o trabalho é para uma limpeza pesada. Exemplos: Vassoura da Bruxa, Turmalina Preta.

Bebidas: Suco de pera e de melão; água de coco; leite com mel; cerveja clara; conhaque com mel; rum; pinga com mel; vinho branco.

Frutas: Melancia, melão, pera pêssego, laranjas, figo, maçãs, uvas verdes, carambola. Também as frutas de polpa branca em geral.

Flores: Cravo branco, palmas brancas, rosas brancas; as flores brancas em geral; hortênsia.

Oferenda ritual: Velas, pembas, fitas e linhas de cor branca e azul claro; cravos bran­cos; frutas variadas; bebidas: rum, aguardente ou cerveja branca.

      A canoa virou marinheiro no fu - Marinheiro

Pai João de Aruanda: SÓ EXISTE UM CAMINHO

Pai João de Aruanda
Canalizado por Adriano Pereira 14/11/2013

Fio, sabe o que o Véio tem para lhe dizer…

Que o Amor vence tudo, que o Amor é a maior força do Universo, pois nada mais pode ser criado e mantido sem o Amor.

Nosso Pai, o Criador Primordial, é puro Amor, e do seu Amor todo o Universo foi criado e é mantido.

Na Terra, as provas e aflições ainda repercutem nas vidas dos homens.

Na Terra existe hoje a chance de a humanidade sair desta ciranda de dor e se elevar para o Amor Divino e Celestial de nosso Pai.

O caminho Fio, é o Amor. Quando falamos para que não se preocupar com nada e vibrar o vosso Amor interior, é justamente para que se alinhe energeticamente com tudo que é belo e sagrado.

Alinhando-se ao Amor, você irá atrair apenas o Amor para sua vida e para todos aqueles que o cerca.

A simplicidade e a humildade de propósitos honra o Criador.

O menor grão de areia contém em seu núcleo todo o Amor com que foi criado.

Tudo ao vosso redor foi feito com Amor e por Amor. O Amor está por toda parte para que possa ver como nosso Pai é bondoso e generoso com a humanidade, olhe as folhas dos gramados, as árvores, as plantas, os animais, as aves, o céu, as montanhas, as águas dos rios e mares e até mesmo a generosidade e o Amor de nosso Pai que nos deu a Lua e o Sol, para iluminarem nossas vidas. A beleza está em todo lugar, pronta para nutrir seu coração com energias amorosas e singelas.

Nos momentos difíceis, pare um pouco e olhe ao redor, nutra-se de todo Amor ao seu redor, e então, erga a cabeça e siga em frente, sabendo que somente a Luz pode se sobrepor as sombras. Quando a escuridão se espreitar ao vosso redor, lembre-se que dentro do seu coração existe uma Luz forte e poderosa, pois esta Luz, Fio, é a Luz do Amor, é a mesma Luz que emana no coração de nosso Pai, o Criador. Fio, você foi feito de uma parte do espírito do Criador, você é Um com ele.

Os seres humanos tem uma capacidade incrivelmente poderosa de superar crises e tempestades, e a força interior que surge misteriosamente neste momentos decisivos, vem de dentro de seus corações, só de dentro de você, não adianta procurar ao vosso lado.

O Véio conhece o poder do Amor, pois foi somente com o Amor de Deus por seus filhos, que nós, os Pais Velhos, os Pretos Velhos, os Caboclos pudemos cumprir a nossa missão na Terra. E agora Fio, estamos aqui novamente ao lado da humanidade para ajudar no que for possível, mas novamente lhe diremos, que só existe um caminho, é o caminho do Amor.

Que Nossa Mãe Santíssima envolva-os em seu abraço de puro Amor.

  • Av. Dona Sofhia Rasgulaeff 177.
    Jardim Alvorada/ Maringá /Paraná
    Telefone: (44) 3034-5827 (44) 99956-8463
    Consultas Somente com Hora Marcada.
    Atendimento: de Segunda a sexta-feira
    Das 09:00 as 19:00 horas.
    Não damos consultas:
    via WhatsApp ou via E-mail e mensagens de celular.



Esta entrada foi publicada em Entidades de Umbanda. Adicione o link permanente aos seus favoritos.