Banho de Yansã para Atrair Paixão

Banho de Yansã para Atrair Paixão

Banho de Yansã para Atrair Paixão

anis estrelado moído
canela em pó
cravo da índia em pó
250 gramas de açúcar mascavo
2 quartzos rosa

Misture tudo em vidro com tampa. Utiliza-se uma colher da mistura para um litro de água morna.
Banhe-se do pescoço para baixo, especialmente nas partes íntimas. Faça três vezes na semana, com vela vermelha acesa no banheiro em intenção de Iansã (após o banho pode apagá-la e reacender sempre que for usar o banho de atração). Este banho também ajuda a aquecer uma relação conjugal que esteja fria.

Banhos na vibração do Orixá Iansã

Banho de Iansã para atração do amor

– flores e folhas de amor agarradinho ( erva)

– 3 litros de água

– 3 colheres de açúcar cristal branco

Colocar a água em um balde limpo junto com as ervas e o açúcar, macerar até dissolver bem a erva. Tampar o balde com um pano branco e deixar repousar por no mínimo 4 horas, coar e após o banho higiênico, jogar desde a cabeça aos pés pedindo à Iansã que abra seus caminhos amorosos, traga felicidade em sua vida e lhe de poder de atração.

Jogar os restos da erva em um jardim.

Melhor dia para fazer o banho é em sábado de lua cheia ou crescente.

Banho de Iansã para limpeza energética e energização

Um punhado das seguintes ervas:

– para raio

– quebra pedra

– lingua de vaca

– umbaúba

– louro

Colocar 3 litros de água para ferver, assim que a água entrar em ebulição adicionar as ervas mexendo com uma colher no sentido horário, tampar a panela desligando o fogo. Deixe descansar por no mínimo 4 horas, coar para um balde adicionando mais água do chuveiro e após o banho higiênico jogar do pescoço para baixo pedindo à Iansã que limpe seu corpo físico e espiritual, afastando toda energia negativa, olho gordo, inveja, obsessores e eguns que possar estar sugando sua energia.

Jogue os restos da erva em um jardim.

Banho de Iansã para descarrego

material:

– um punhado de folhas de morango

– 5 litros de água em temperatura ambiente

Macere as folhas de morango em um balde limpo com água, deixe descansar por no mínimo 4 horas, coe e jogue do pescoço para baixo fazendo seus pedidos a Iansã.

– Jogue as folhas em um jardim.

Banho de descarrego de Iansã

material:

Um punhado de folhas de romã

5 litros de água limpa em temperatura ambiente

Macere as folhas de romã em um balde com água, deixando descansar por 4 horas, sem coar jogue do pescoço para baixo após seu banho normal, recolha todas as folhas e coloque em uma folha de jornal, deixe no sol até que fique completamente seco, coloque fogo no jornal com as ervas e peça a Iansã que o fogo consuma todas as negatividades presentes na sua vida.

– Jogue as cinzas restantes em baixo de uma árvore.

ERVAS DE IANSÃ

Alface: É empregada nas obrigações de Egun, e em sacudimentos. O povo a indica para os casos de insônia, usando as folhas ou o pendão floral. Além de chamar o sono, pacifica os nervos.

Altéia – Malvarisco: Muito empregada nos banhos de descarrego e na purificação das pedras dos orixás Nanã, Oxum, Oxumarê, Yansã Yemanjá. Muito prestigiada nos bochechos e gargarejos, nas inflamações da boca e garganta.

Angico-da-folha-miúda – Cambuí: Só possui aplicação na medicina caseira a casca ou os frutos em infusão no vinho do porto ou otin (cachaça), age como estimulador do apetite. Os frutos em infusão, também fornecem um licor saboroso, do mesmo modo combate a dispepsia.

Bambu: É um poderoso defumador contra Kiumbas. O banho também é excelente contra perseguidores. Na medicina popular é benéfico contra as doenças ou perturbações nervosas, nas disenterias, diarréias e males do estômago.

Cambuí amarelo: Só é utilizado em banhos de descarrego. A medicina caseira indica como indica como adstringente, e usa o chá nas diarréias ou disenterias.

Catinga-de-mulata – Cordão-de-Frade – Cordão-de-São-Francisco: Seu uso ritualístico se restringe aos banhos de limpeza e descarrego dos filhos de Oyá. O povo a indica para curar asma, histerismo e como pacificadora dos nervos

Cordão-de-Frade verdadeiro: Essa planta é aplicada em banhos tonificantes da aura e limpezas em geral. O povo afirma que hastes e folhas, em cozimento ou chá, combate a asma, melhora o funcionamento dos rins e beneficia no caso de reumatismo.

Cravo-da Índia – Cravo-de- Doce: Entra em quaisquer obrigações de cabeça e nos abô. Participa dos banhos de purificação dos filhos dos orixás a que pertence. O povo indica suas folhas e cascas em banhos de assento para debelar a fadiga das pernas. Ótimo nos banhos aromáticos.

Dormideira sensitiva: Não conhecemos seu uso ritualístico. A medicina caseira indica esta planta como emoliente, mais especificamente para bochechos e gargarejos, nas inflamações de boca. Indicada como hipnótico, pondo fim a insônia. É utilizado o cozimento de toda a planta.

Espirradeira – Flor-de-São-José: Participa de todas as obrigações nos cultos afro-brasileiros. Esta planta é utilizada nas obrigações de cabeça, nos abô e nos abô de ori. Pertence aos orixás Xangô e Yansã, porém há, ainda, um outro tipo branco que pertence a Oxalá. O povo indica o suco das folhas desta contra a sarna e pôr fim aos piolhos. Em uso externo.

Eucalipto-limão: de grande aplicação nas obrigações de cabeça e nos banhos de descarrego ou limpeza dos filhos de orixá. A medicina caseira indica-o nas febres e para suavizar dores. usado em banhos de assento, é também emoliente.

Flamboiant: Não é utilizado em obrigações de cabeça, sendo usado somente em algumas casas de banhos de purificação dos filhos dos orixás. Porém suas flores tem vasto uso, como ornamento, enfeite de obrigação ou de mesas em que estejam arriadas as obrigações. Sem uso na medicina popular.

Gengibre-zingiber: São aplicados os rizomas, a raiz, que se adiciona ao aluá e a outras bebidas. O povo costuma dizer que é também ingrediente no amalá de Xangô. A medicina caseira a usa nos casos de hemorragia de senhoras e contra as perturbações do estômago, em chá.

Gitó-carrapeta – bilreiro: É de hábito ritualístico empregá-la em banhos de limpeza e purificação dos filhos do orixá a que se destina. O povo indica na cura de moléstia dos olhos. Não aconselhamos o uso interno.

Hortelã-da-horta – Hortelã-verde: Muito usada na culinária sagrada. Entra nas obrigações de cabeça alusivas a qualquer orixá. Participa do abô dos filhos-de-santo. A medicina caseira o aponta como eficiente debelador de tosses rebeldes; de bons efeitos nas bronquites é muito útil no tratamento da asma.

Inhame: Seu único emprego ritualístico é o uso das folhas grandes como toalha nas obrigações de Exu. O inhame é tido como depurativo do sangue na medicina caseira.

Jenipapo: As folhas servem para banhos de descarrego e limpeza. A medicina caseira aplica o cozimento das cascas no tratamento das úlceras, o caldo dos frutos é combatente de hidropsia.

Lírio do Brejo: São usados folhas e flores nas obrigações de ori, nos abô e nos banhos de limpeza ou descarrego. O povo emprega o chá das raízes, rizomas, como estomacal e expectorante.

Louro – Loureiro: Planta que simboliza a vitória, por isso pertence a Oyá. Não tem aplicação nas obrigações de cabeça, mas é usada nas defumações caseiras para atrair recursos financeiros. Suas folhas também são utilizadas para ornamentar a orla das travessas em que se coloca o acarajé para arriar em oferenda a Iansã.

Mãe-boa: Seu uso se restringe somente aos banhos de limpeza. Muito usada pelo povo contra o reumatismo, em chá ou banho.

Manjericão-roxo: Empregado nas obrigações de ori dos filhos pertencentes ao orixá do trovão. Colhido e seco, previne contra raios e coriscos em dias de tempestades, usando o defumador. Não possui uso na medicina popular.

Maravilha bonina: Utilizada nas obrigações de ori relativas a Oyá ebori, lavagem de contas e feitura de santo. Não entra nos abô a serem tomados por via oral. O povo a indica para eliminar leucorréia (corrimentos), hidropsia, males do fígado, afecções hepáticas e cólicas abdominais.
ERVAS DOS ORIXÁS

Ogum – folhas de mangueira
Oxossi – Folhas de cajueiro
Xangô – Manjericão Roxo ou para-raio
Oxalá – Manjericão branco (folha miúda) ou gameleira branca
Omulu – Gameleira preta, ou pau-da-Angola
Nanã – Alfavaca
Iemanjá – Alfavaca ou a folha do algodoeiro
Oxum – Alfavaca
Iansã – Manjerona, ou timbaúba

AMACI

Somos receptores de energia positiva ou negativa, mas, isto vai depender do nosso estado espiritual e material. Se você acha que nunca vai se realizar profissionalmente, ou nunca vai ser amada (o) por alguém, ou que tudo dá errado para você. Neste momento você se torna um pólo negativo, e passa a sintonizar com entidades que viveram este dilema, daí, as coisas começam a dar errado, e você começa a desacreditar em Deus, achando que ele só lha para os outros e que você não passa de um ser excluído.

Mas não é verdade, Deus nunca excluiu um filho, apenas lhe deu o livre arbítrio de pensar, agir e sonhar: Se nos tornamos negativos é porque vivemos de forma ociosa, e dessa forma, nos tornamos alvos fáceis das correntes negativas. O banho de erva (amaci), age como um neutralizador de correntes negativas, e como um energizador, dando a pessoa força suficiente, para que ela possa sair do estado em que se encontra.

As filhas ou filhos de Iansã deverão tomar um banho de limpeza (amaci) feito com a erva Manjerona, que será colhida uma terça-feira, e numa lua crescente. O banho deverá passar a noite no sereno para que ele possa absorver às correntes positivas enviadas pelo Cosmo. Antes do nascer do sol, coe o mesmo num pano bem limpo, e dentro de um alguida virgem.

As filhas ou filhos de Iemanjá deverão tomar um banho de limpeza (amaci) feito com a erva alfavaca, que será colhida num sábado, e numa lua crescente. O banho terá que passar a noite no sereno para que ele possa absorver às correntes positivas enviadas pelo Cosmo. Antes do nascer do sol, coe o mesmo num pano bem limpo, e dentro de um alguida virgem.

As filhas ou filhos de Oxum deverão tomar um banho de limpeza (amaci) feito com a erva Alfavaca, que será colhida uma terça-feira, e numa lua crescente. O banho deverá passar a noite no sereno para que ele possa absorver às correntes positivas enviadas pelo Cosmo. Antes do nascer do sol, coe o mesmo num pano bem limpo, e dentro de um alguida virgem.

As filhas ou filhos de Nanã deverão tomar um banho de limpeza (amaci) feito com a erva Alfavaca, que será colhida uma terça-feira, e numa lua crescente. O banho deverá passar a noite no sereno para que ele possa absorver às correntes positivas enviadas pelo Cosmo. Antes do nascer do sol, coe o mesmo num pano bem limpo, e dentro de um alguida virgem.

As filhas ou filhos de Ogum deverão tomar um banho de limpeza (amaci) feito com as folhas da mangueira, que será colhida uma terça-feira, e numa lua cheia. O banho deverá passar a noite no sereno para que ele possa absorver às correntes positivas enviadas pelo Cosmo. Antes do nascer do sol, coe o mesmo num pano bem limpo, e dentro de um alguida virgem.

As filhas ou filhos de Xangô deverão tomar um banho de limpeza (amaci) com a erva Manjericão roxo, que será colhido uma quarta-feira, e numa lua cheia. O banho deverá passar a noite no sereno para que ele possa absorver às correntes positivas enviadas pelo Cosmo. Antes do nascer do sol, coe o mesmo num pano bem limpo, e dentro de um alguida virgem.

As filhas ou filhos de Oxossi deverão tomar um banho de limpeza (amaci) com as folha do cajueiro , que serão colhidas uma quinta-feira, e numa lua crescente. O banho deverá passar a noite no sereno para que ele possa absorver às correntes positivas enviadas pelo Cosmo. Antes do nascer do sol, coe o mesmo num pano bem limpo, e dentro de um alguida virgem.

As filhas ou filhos de Omulu deverão tomar um banho de limpeza (amaci) com a pau-da-angola, que será colhidas uma segunda-feira, e numa lua crescente. O banho deverá passar a noite no sereno para que ele possa absorver às correntes positivas enviadas pelo Cosmo. Antes do nascer do sol, coe o mesmo num pano bem limpo, e dentro de um alguida virgem.

As filhas ou filhos de Oxalá deverão tomar um banho de limpeza (amaci) com a erva manjericão branco, que será colhido uma sexta-feira, e numa lua cheia. O banho deverá passar a noite no sereno para que ele possa absorver às correntes positivas enviadas pelo Cosmo. Antes do nascer do sol, coe o mesmo num pano bem limpo, e dentro de um alguida virgem.

COMO PREPARAR O SEU AMACI

Colha a erva na parte da manhã, se possível antes do sol nascer, caso contrário, encomende no mercado de ervas, mas peça para que ela seja colhida como já foi dito.

Ponha água potável dentro do alguida juntamente com a erva, e macere-a até extrair o sumo, e coe para retirar as folhas. Acenda uma vela branca e ofereça ao seu anjo de guarda, tome o banho matinal, e depois tome o banho com o amaci, lavando bem a cabeça. a nuca, o plexo solar e os calcanhares, vista uma roupa branca e se perfume, (o banho deverá permanecer no corpo). Procure se recolher por trinta (30) minutos, mentalizando seu orixá.

FORMAS DE MENTALIZAÇÃO

OGUM – mentalizem um cavaleiro medieval, montado em seu cavalo branco, e seguindo em sua frente, como se estivesse abrindo os seus caminhos.

Xangô – Mentalizem um velhinho de barbas brancas (ex: São Jerônimo), sentado numa pedreira, e façam o seu pedido.

Oxossi – Mentalizem as matas, as aldeias e façam o seu pedido.

Oxalá – Mentalizem Jesus vindo em sua direção, e façam o seu pedido.

Omulu – Mentalizem um velhinho de barbas e cabelos brancos, e façam o seu pedido.

Iemanjá – Mentalizem o mar, olhando para o horizonte, e vejam o vulto sagrado da doce rainha vindo em sua direção.

Iansã – Viajem pelos ventos, e sigam os passos da bela moça de cabelos esvoaçantes.

Oxum – Mentalizem as cachoeiras, os rios, os lagos e as lagoas, e peçam a rainha do amor o que desejares.

Nanã – Doce e compreensiva, faça uma viajem mental sobre os leitos sagrados dos mares, dos rios, e peçam com fé, ela não nega nada aos seus filhos.

  • Av. Dona Sofhia Rasgulaeff 177.
    Jardim Alvorada/ Maringá /Paraná
    Telefone: (44) 3034-5827 (44) 99956-8463
    Consultas Somente com Hora Marcada.
    Atendimento: de Segunda a sexta-feira
    Das 09:00 as 19:00 horas.
    Não damos consultas:
    via WhatsApp ou via E-mail e mensagens de celular.