Ajudar faz bem

Ajudar faz bem

Alguns dias atrás Pai João, disse que:
“ Gostaria que o nosso centro contribuísse ainda mais com aqueles que precisam, disse que além do trabalho de divulgação sobre a umbanda que fazemos em nosso site , dos conselhos e orientações que no centro são prestados , ele queria ajudar com uma cesta de alimento , nem que fosse apenas uma pessoa,ele acredita que com essa iniciativa estaríamos reduzindo pra menos um o numero de necessitados.
Comprometi-me em dar uma cesta básica todo fim de mês a uma família carente.
Pai João sorriu e me disse: “Que Zambi te abençoe quando vos zuncê fizer o entendedô do que vos pedi, passe adiante.
Os dias Passaram e devido a correria do dia-a-dia, nem tive tempo de pensar melhor sobre o assunto, pensei comigo, se o pai João deseja que doemos uma cesta é simples o dia que for pagar a fatura do supermercado eu compro uma cesta entrego pra alguém e pronto, caso encerrado.
No dia que fui pagar a fatura do supermercado, fui direto à sessão de cestas básicas e pequei uma naquele momento senti que estava fazendo a coisa certa, havia prometido ao pai João e estava cumprindo, me dirigi ao caixa e esperei na fila, com a cesta nos braços, quando de repente passei a olhar os carrinhos de compra que estavam passando, alguns lotados com muitas coisas supérfluas, e pensei pra essa pessoa uma cesta básica não faria a menor diferença.

Senti uma tristeza e um vazio sem explicação, comecei a agradecer a Deus, por tudo que ele tem nos dado , agradeci pelo privilégio de ter uma mesa farta e condições de pagar pelo sustento de minha família.
Confesso que me senti envergonhado por só ter tomado essa iniciativa por ser um desejo do Pai João. Pois uma cesta básica, não iria me deixar nem mais rico e nem mais pobre, não iria afetar o meu orçamento. E realmente poderia ajudar alguém.
O pai João havia recomendado que quando fosse fazer a doação que fosse feito anonimamente.
O objetivo era ajudar alguém de alguma forma não fazer marketing sobre os necessitados.
Mesmo assim senti o desejo de compartilhar essa experiência com algumas pessoas que freqüentam o centro.
A resposta foi imediata, os que puderam colaboraram.

Foram doadas ao centro algumas cestas básicas pra ser doadas a quem precisa.
O que me deixou imensamente feliz.

Foi nesse momento que compreendi o que o Pai João quis dizer :
“ Que Zambi te abençoe quando vos zuncê fizer o entendedô do que vos pedi, passe adiante.”

Compreendi que o seu pedido nada mais era do que um inventivo, pra pratica da caridade, mas primeiro tive que sentir a necessidade de fazer algo em favor de alguém, como forma de agradecimento a deus, quando de coração aberto, me dispus a falar com algumas pessoas recebi ajuda pra ajudar.

Aviso:
Quero deixar bem claro, que o objetivo dessa página não é pedir que ninguém
envie ao centro Pai João de Angola , nada.

O objetivo é convidá-lo ( la) para a prática da caridade.
Que te sirva de incentivo pra ajudar quem realmente precisa.
A ajudar uma pessoa pelo menos, assuma um compromisso de gratidão com Deus.

Lembre-se que:

“O verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entende Jesus, é benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições alheias, perdão das ofensas.”

“A verdadeira caridade surge espontaneamente de um coração simpático, antes mesmo que qualquer pedido seja feito. Ela é a pessoa que dá, não ocasionalmente, mas constantemente.”

      estou_pensando_em_deus

Reflita.

 

Entenda o que é caridade:

Entenda o que é caridade:

Caridade é, sobretudo, amizade.
Para o faminto — é o prato de sopa.
Para o triste — é a palavra consoladora.
Para o mau — é a paciência com que nos compete auxiliá-lo.
Para o desesperado — é o auxílio do coração.
Para o ignorante — é o ensino despretensioso.
Para o ingrato — é o esquecimento da ingratidão.
Para o enfermo — é a visita pessoal.
Para o estudante — é o concurso no aprendizado.
Para a criança — é a protecção construtiva.
Para o velho — é o braço irmão.
Para o inimigo — é o perdão.
Para o amigo — é o estímulo.
Para o transviado — é o entendimento.
Para o orgulhoso — é a humildade.
Para o colérico — é a calma.
Para o preguiçoso — é o trabalho.
Para o impulsivo — é a serenidade.
Para o leviano — é a tolerância.
Para o deserdado da Terra — é a expressão de carinho.
Em todos os lugares e situações da vida, a caridade será sempre a fonte divina das bênçãos de Deus.

Passe a diante.

Um abraço fraterno.
Beto de Ogum.

  • Av. Dona Sofhia Rasgulaeff 177.
    Jardim Alvorada/ Maringá /Paraná
    Telefone: (44) 3034-5827 (44) 99956-8463
    Consultas Somente com Hora Marcada.
    Atendimento: de Segunda a sexta-feira
    Das 09:00 as 19:00 horas.
    Não damos consultas:
    via WhatsApp ou via E-mail e mensagens de celular.



Esta entrada foi publicada em Assuntos Diversos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.